Espaço MEMÓRIA PIRACICABANA

,

Pages

terça-feira, 2 de maio de 2017

Primórdios do cinema Piracicabano

Durante esse mês de abril separamos alguns artigos - publicados na página do Centro Cultural no Facebook *- sobre a cidade de Piracicaba e muitas informações curiosas foram encontradas.

Dando continuação a última publicação, vamos falar mais um pouco sobre os primórdios do cinema na cidade.

“Foi o Santo Estevão, o velho casarão da Praça José Bonifácio demolido há anos, o nosso primeiro cinema permanente. O cinema funcionou de início com a denominação do próprio teatro, mas em janeiro de 1910 passou a ser chamado “Theatro Cinema”. A historia dessa primeira casa estável de espetáculos cinematográficos parece estar ligada, surpreendetemente, à... Santa Casa de Misericórdia local. Com efeito, o Jornal de Piracicaba de 1908, publica que uma comissão de mesários da Santa Casa mandaria vir “um apparelho cinematographico para com elle dar espetáculos em beneficio de obras que se projectam construir no prédio daquella casa de caridade.” Tal aparelho aqui chegou em dezembro do mesmo ano. Tratava-se, segundo o “Jornal”, de um “Pathé Freres, que projecta com nitidez as fitas, sem causar o menor incomodo para o espectador... A coleção de vistas é muito variada e escolhida, havendo diversas coloridas”. Dado o seu caráter beneficente , o aparelho foi denominado “Cinematographico Charitas” e sua primeira projeção publica ocorreu a 5 de dezembro de 1908.” (Jornal de Piracicaba, 1961)

O segundo cinema de Piracicaba, que fazia concorrência com o Santo Estevão, foi o Bijou Theatre.

“Os preços para a sessão de estreia do Bijou, realizada às 21 horas, eram: camarotes 5$, cadeiras 1$ e geral 500 reis. E o cinema do Santo Estevão, para enfrentar a concorrência, passava a anunciar, nos intervalos, execuções das modinhas em voga, a cargo da Banda Carlos Gomes, e distribuição de brindes aos frequentadores: relógios de algibeira, despertadores, bonecas ...”

No início do século XX Piracicaba pode assistir as mais importantes produções nacionais e internacionais. Filmes como “O crime da mala”, “O crime da Rua Carioca (os estranguladores Rocca e Carletto)”, filmes baseados em crimes notórios da época, “Façanhas de um louco”, “Velhos Merchantes”, e diversos outros filmes.


Vivian Monteiro, historiadora do Espaço Memória Piracicabana.

Pesquisa realizada no acervo João Chiarini.

Nenhum comentário:

Postar um comentário